HABITAÇÃO NO FULÃO

Melgaço | Portugal

 

ESTUDO PRÉVIO

22km de Melgaço, que se destaca pela sua beleza natural e pelo seu caráter rural que, ainda hoje, se mostra fortemente ligado à região. O rio Troncoso é o principal recurso da região e torna os terrenos próximos bastante férteis daí a presença dos campos agrícolas que adornam o vale. Além disso o rio é o fio condutor entre Portugal e Espanha que de alguma maneira estabelece a interligação cultural entre os dois lugares.


A zona permanece ainda hoje fiel às suas tradições, resistido à passagem do tempo e a população, cada vez menor, mantém a atividade milenar, afirmando o carácter agrícola da paisagem. Portugueses e Espanhóis resistem à evolução sectorial do país, continuando ambos os lados do vale a desempenhar um papel importante no desenho da paisagem.


No meio desta tranquilidade e sossego, propõe-se inserir uma pequena moradia, algo simples - um refúgio para visitantes e turistas. A implantação da moradia irá tirar partido da paisagem e das vistas sobre a região.


A proposta é pensada em 3 fases, sendo que na primeira fase é consolidada a entrada para o terreno através da construção de uma rampa de acesso e um pequeno estacionamento para veículos, na segunda a construção do percurso ao longo do terreno até a zona do rio, e na terceira a implantação da moradia.


O Fulão localiza-se no norte de Portugal e é uma importante área de tradição agrícola na zona desde há muitos séculos. Também, pela sua proximidade com a fronteira de Espanha torna-se uma área onde as tradições de ambos os países se misturam chegando a ser impercetível a sua separação. O vale onde se insere o Fulão é estreito e as paisagens das montanhas são bem definidas sendo possível identificar três camadas: o rio Troncoso; as intervenções das pessoas nas margens do rio; e as montanhas com a sua paisagem quase intacta. A segunda camada continua a sua dinâmica, embora hoje se mostre cada vez mais estagnada devido ao abandono dos campos agrícolas sendo poucos os terrenos que continuam a ser explorados.


No projeto, o vazio dos terrenos agrícolas tem um valor importante na herança do lugar. Considerou-se importante fazer uma intervenção que fosse leve na sua implantação, de modo que o projeto é resumido a um pequeno módulo de habitação que pousa no terreno sem intervenções na sua envolvente. Tal premissa constitui a ideia de não criar limites visuais e físicos na paisagem existente.